Estratégia de Team BuildingSaiba como transformar a inteligência da sua equipe em um diferencial para inovar em sua estratégia de Team Building. Veja, também, como a gamificação pode ajudá-lo na prática!

Você já viu aqui no AVATARH que a inteligência coletiva e o empoderamento criativo podem ser bastante úteis para aumentar a produtividade de sua equipe. Mas para isso funcionar, é preciso uma coisa: saber como usar esses elementos na hora de construir a estratégia de Team Building da empresa. Concorda?

Para transformar o potencial desses conceitos em ações reais, o primeiro passo é fazer algumas perguntas. Entre elas, pense:


Eficiência do treinamentoVocê conhece a relação entre Gamificação, Aprendizagem e Engajamento?

Quer melhorar a performance, a comunicação, a interação entre as equipes e a aprendizagem em sua empresa? Saiba que essa tarefa pode ser muito mais simples aplicando a gamificação!

No Playbook: 10 Segredos para a eficiência de treinamento com Gamificação, Aprendizagem e Engajamento, disponibilizamos as principais práticas utilizadas por nós, ao longo dos nossos 15 anos de experiência, com o desenvolvimento e aplicação de games em grandes corporações e instituições.


CriatividadeO Game Jam motiva o engajamento dos jogadores, estimula a criatividade e os torna capazes de produzir um conteúdo rico em pouco tempo

Hoje em dia, as empresas precisam encontrar métodos para que possam fazer seus funcionários terem um ótimo desempenho, serem engajados e darem o máximo do potencial nas tarefas do trabalho.

E você sabe qual o método usado por grandes empresas? Os jogos corporativos. Sim, é isso mesmo! Empresas como Google, Telefônica, Santander e outras usam o Game Jam para desenvolver diversas habilidades de seus funcionários.


GamificaçãoA gamificação é utilizada pelas empresas para despertar o potencial criativo e de inovação dos colaboradores

No universo empresarial, a cocriação de jogos corporativos é cada vez mais uma solução de treinamento. Hoje em dia, grandes e médias empresas estão adotando o Game Jam da i9Ação para despertar o potencial criativo e também para promover integração entre toda a equipe.

Para falar de engajamento, o Portal Gestão & Negócios publicou uma nota sobre como os jogos corporativos estão sendo utilizados para envolver os funcionários de maneira criativa. A nota aborda, inclusive, que a cocriação de jogos engaja por transformar os participantes em embaixadores do game criado.


A experiência do Game Jam foi aberta para executivos aprenderem como a gamificação é utilizada para o engajamento e a aprendizagem dos colaboradores

Para os executivos que precisam de uma ação diferenciada e eficiente com seus colaboradores e não conheciam o potencial dos jogos corporativos, foi oferecido, na última terça-feira (21), o Game Jam para disseminar a vivência de criar jogos empresariais. A iniciativa foi da i9Ação Treinamento e Desenvolvimento em parceria com o Espaço Fit, local do evento.

Publicado no Portal Mundo RH, o evento contou com a presença de 120 participantes, sendo 9 pessoas que já haviam participado antes. No total, foram 35 empresas e instituições representadas – como Cacau Show, Telefônica-Vivo, ESPM, KPMG, McDonald’s, TOTVS, Burger King, bem como, Caixa Econômica Federal e Associação Paulista de Medicina, que tiveram a experiência de cocriar jogos e conhecer a gamificação corporativa na prática.


Funcionários engajadosi9Ação foi destaque em reportagem sobre liderança

Segundo pesquisa elaborada pela Robert Half, empresa especializada em recrutamento, nove em cada dez empresas brasileiras possuem profissionais com perfil de liderança.  O problema, porém, é que a maior parte dessas companhias não conseguem identificar esses líderes por não terem programas sistemáticos voltados para essa descoberta.

Mas como isso impacta, de verdade, a rotina das empresas? Este foi o ponto de partida para reportagem do Portal Fecomercio, que contou com a participação de Fernando Seacero, sócio-fundador da i9Ação e especialista no desenvolvimento de treinamentos gamificados.


LíderComo ter o melhor desempenho de um colaborador nos dias de hoje?

Entre as muitas mudanças que o universo corporativo tem sofrido uma, com certeza, está ligada ao conceito de hierarquia. Hoje em dia, o líder passou a ser aquele que está aberto a ideias, aceita opiniões e, o mais importante, trabalha junto com sua equipe. Portanto, quando o assunto é treinamento, os modelos tradicionais também ficaram para trás.

Com essa transformação, uma nova forma de desenvolvimento de pessoas que tem atendido a necessidade das empresas é a gamificação. Esse foi o tema central da matéria “O Jogo do Líder”, publicada na Revista Gestão & Negócios, edição 95, que destacou como o uso de jogos está sendo usado para melhorar o engajamento e a integração dos colaboradores, a partir de metodologias que focam itens como tomada de decisões, cooperação e aprendizagem acelerada de conteúdo complexo.


icon-1298908_640Ouça a entrevista com Luis França, diretor de RH & TI para a América do Sul da Kordsa Global, e saiba como o jogo personalizado desenvolvido pela i9Ação transformou as ações de Team Building para aumentar a qualidade dos processos da companhia

 

Saiba os resultados positivos que o jogo trouxe para a Kordsa! Escute, agora, essa entrevista inspiradora com Luis França:

1 – Qual era a necessidade da Kordsa Global antes de aplicar a gamificação?

 


Ter um colaborador engajado, produtivo e alinhado com os valores da empresa é desejo de qualquer executivo. E a receita para formar um funcionário com essas características pode estar nos games corporativos. No Fórum de Gestão de Pessoas realizado na sede da Amcham Brasil, terça-feira (24/11), Fernando Seacero, sócio-diretor da i9Ação explicou como isso é possível.


GamificaçãoCom o objetivo de mostrar novidades sobre o mundo corporativo, o Programa Comunicação Executiva traz a “Gamificação nas empresas” como temática da entrevista de Reinaldo Passadori com Fernando Seacero, sócio fundador da i9Ação. O programa foi ao ar em 16 de novembro, às 12 horas pela TV Geração Z.

Seacero conta que começou a trabalhar com jogos corporativos para aprendizagem quando era colaborador da BCP Telecomunicações, na época, a startup precisava que as pessoas aprendessem tudo muito rápido. A partir daí, como neuropsicólogo, Fernando começou a desenvolver metodologias de gamificação para acelerar a aprendizagem e também gerar memória de longo prazo.