: 4 Dicas para fazer da cooperação uma aliada da aceleração da aprendizagem

Imagem: Marcus Souza

 

Por Fernando Seacero

Após todos esses anos convivendo com os MOOCs – Massive Open Online Courses, percebemos que o impacto na aquisição de conhecimento pode ser ainda maior se utilizarmos algumas estratégias para ampliar o engajamento das pessoas na aprendizagem digital

Na grande evolução no que chamamos de aprendizagem digital à distância, o que há dez anos era um privilégio de universidades e grandes corporações, hoje se multiplica no mundo com os MOOCs – Massive Open Online Courses (ou, numa tradução livre, cursos on-line abertos a todos). Os grandes expoentes deste movimento são Coursera, Khan Academy e Udemy, entre outros.

Essas plataformas são revolucionárias e abriram para muitos a possibilidade de acesso a conteúdos apresentados de uma forma muito mais palatável, eficiente e divertida do que seus antecessores. A partir destas experiências, quais as estratégias podem ampliar o engajamento e o poder do ensino por meio digital?

Segundo Niema Moshiri, pesquisador e desenvolvedor de estratégias de aprendizagem on-line da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, o conteúdo em si não gera aprendizagem. O que gera a aprendizagem é o envolvimento da pessoa com o conteúdo, após ter o primeiro contato com ele, criando perguntas e dúvidas e relacionando aquelas informações a outros conhecimentos e habilidades que já possui.

Assim, o principal desafio neste campo é transformar a experiência impessoal das plataformas em algo mais personalizado, onde a pessoas possam avançar por si no conhecimento toda vez que encontrarem um “breaking point”, ou seja, o seu ponto de ruptura.



planejar gamificação

A gamificação está ganhando cada vez mais espaço no mundo corporativo, traz resultados incríveis e mensuráveis com a tecnologia. Porém, como planejar um jogo corporativo da forma mais eficiente e profissionalizada? Conheça as dicas de Fernando Seacero, fundador da i9Ação

No mês de abril é celebrado o Dia da Educação. A data foi ampliada, sendo chamada também como “Dia do Gamifico” pelo fundador da i9Ação, Fernando Seacero. Afinal, essa ferramenta digital pode agregar — e muito— no aprendizado de adultos pelo diferencial de acelerar a aprendizagem e possibilitar que o conteúdo aprendido fique na memória por mais tempo. O importante é utilizar a gamificação da maneira certa.

Em um estudo da The Elearning Guide, 79% das pessoas afirmam que seriam mais produtivas se aprendessem através de jogos. Para os tempos de quarentena, a gamificação corporativa digital é uma solução que está sendo muito mais procurada do que o mesmo período de 2019 e de 2018, mensura Seacero dentro do balanço da i9Ação.

“Há 18 anos trabalhamos com jogos corporativos para aprendizagem e há 7 anos estamos aplicando a metodologia dos tabuleiros gigantes em plataformas gamificadas para celulares e computadores. Isso foi extremamente relevante para conseguirmos dar o respaldo para nossos clientes nesse momento de isolamento social e Home Office”, descreve.



GamificoPor Fernando Seacero

Se é para o bem de todos e felicidade geral das organizações, afirmo: gamificação para aprendizagem de adultos não é coisa do passado, muito menos está com os dias contados. Ao contrário do que já ouvi por aí por todo esse tempo que gamifico, o volume de utilização da gamificação no mundo só cresce. Em uma pesquisa da The Elearning Guide, 79% das pessoas dizem que seriam mais produtivas e motivadas se aprendessem através de jogos. Enquanto isso, com o avanço da ciência de dados, novas possibilidades surgem para que essa metodologia entregue ainda mais valor às empresas

Apesar da prática e da eficácia virem de longa data, o termo gamificação, em si, foi cunhado somente na década passada, muito por conta do crescimento do mercado mundial de games, principalmente, digitais. Hoje, há mais de um bilhão de jogadores assíduos. Ao avaliar esse fenômeno, estudiosos descobriram que o que mantém as pessoas conectadas não é magia nem só tecnologia, mas os elementos dentro dos jogos, como personagens, rankings, recompensas, missões, histórias etc. Ao transportá-los para o universo corporativo, o que ocorreu por volta de 2010, nasceu a metodologia.

Só que, para gamificar, não basta mais pegar elementos de jogos, digitais ou de tabuleiro, e colocá-los num treinamento tradicional, dando uma roupagem mais atrativa e divertida. Mais do que negócios, estamos falando aqui da gamificação como uma ferramenta de educação, de treinamento e desenvolvimento de pessoas.



Você sabia que a gamificação pode ser utilizada para diversos objetivos na sua empresa? Confira como a Allergan usou duas metodologias gamificadas para melhorar o desempenho do seu time de vendas!

Contornar as objeções do cliente era uma das técnicas de vendas a serem aprimoradas pelo time da unidade brasileira da Allergan, que é a subsidiária número um em vendas na América Latina. Os desafios e aprendizados que viriam para a convenção de vendas da fabricante da indústria farmacêutica não paravam por aí.

Os 182 profissionais da área de vendas e relacionamento com o cliente também deveriam aprofundar seus conhecimentos sobre as 5 áreas de atuação e produtos da empresa: Cool Sculpting, Eye Care Farma, Eye Care Retina, Medical Aesthestics e Specialty Care.

Pensando em melhorar a absorção dos conteúdos e fazer o treinamento de forma lúdica e imersiva, os líderes da Allergan buscaram a i9Ação.

 

Estratégia de gamificação para a Allergan



Fernando Seacero, coordenador do Open Innovation do CONARH, foi entrevistado pelo Crypto ID para falar sobre novas tecnologias em RH. Confira a entrevista com participação também de Sandra Gioffi, diretora do CONARH

Fonte: Crypto ID

Desde que surgiram os primeiros artigos sobre GDPR (General Data Protection Regulation) e LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados -, os grandes interlocutores entre os reguladores e empresários foram os advogados.

O que faz todo o sentido, uma vez que, as penalidades pelas infrações deverão, necessariamente, ocorrer sob litígio, portanto, obrigatoriamente por meio jurídico.



Entenda porque o uso de soluções gamificadas tem sido a grande aposta dos setores de recursos humanos na hora de recrutar

Alguns candidatos precisam driblar o nervosismo e a ansiedade, o que é comum em um processo de seleção. Já outros fazem tantos testes que não conseguem nem pensar em passar novamente pelas mesmas fases dos métodos tradicionais. Estas são apenas duas das situações que podem ser resolvidas pela gamificação na área de atração e seleção de talentos

Sabemos que questionários longos, dinâmicas em grupos, assessment, testes de personalidades e raciocínio lógico costumam ser práticas “pra lá” de conhecidas por candidatos e recrutadores. É por isso que as empresas estão em busca de soluções inovadores e mais eficientes na hora de recrutar. 



Você sabe como alcançar alto engajamento com Gamificação, reunindo User Experience e Analytics? Veja nossa galeria de imagens abaixo 🙂

Em agosto, reunimos mais 100 convidados para vivenciar nosso 2º Workshop de Soluções Gamificadas, User Experience e Analytics. O objetivo foi de demonstrar mais uma vez nossas estratégias para desenvolvimento de User Experience e engajamento, além de apresentar como estruturamos a captura e análise de dados com a Gamificação.



A publicação destaca o uso de jogos e técnicas lúdicas em treinamentos corporativos e avaliações de colaboradores

A prática da gamificação, como é popularmente chamada, tem ganhado cada vez mais espaço no mercado, especialmente por empresas que buscam realizar atividades de avaliação ou treinamento por meio de métodos “não convencionais”.

Pioneira neste mercado, a i9Ação concedeu entrevista para a revista. Confira!



Há 4 anos a Virada da Maturidade e a i9Ação andam de mãos dadas. Anunciamos mais uma edição que acontecerá entre os dias 11 e 14 de abril de 2019

Em 2011 foi a primeira vez que entrei em contato com uma iniciativa que reunia toda a cidade em prol de uma ideia e fiquei encantado. Nas primeiras conversas já percebemos que havia muita sinergia entre a missão deles e da i9Ação, que já desenvolvia games presenciais e digitais, e resolvemos nos apoiar mutuamente compartilhando espaço, comunicação e organização de alguns eventos.

Trabalhamos e trocamos experiências, dividindo nossa antiga casa, na Vila Madalena. Toda a proposta do festival me inspirava, e também eu percebia o quanto um evento como este conseguia mobilizar as pessoas para reflexão e aprendizagem sobre alguns princípios, como sustentabilidade.

Um dia perguntei ao um dos sócios daquela ideia o que ele achava de ter um espaço especial para os idosos e suas famílias! Eu via muito pouco espaço e investimento em ações para estas pessoas que podem trazer tanta experiência e sabedoria para nossa sociedade.  No dia seguinte ele me instigou com a pergunta: “Por que você não cria uma virada para este público?”



capa_revistamelhorEm entrevista à Revista Melhor, o nosso sócio-fundador, Fernando Seacero, fala sobre uma das grandes novidades CONARH 2018: o LabDigital, uma experiência que vai juntar profissionais de RH e Transformação Digital

Está chegando a 44ª edição do CONARH – Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas, o maior evento de Gestão de Pessoas da América Latina!

E, além de centenas de atrações, o encontro também será palco do LabDigital, espaço criado para levar conteúdo disruptivo ao público, promovendo o encontro entre os profissionais de RH e as novas tecnologias.