habilidades em escala

Imagem: Marcus Souza

Como desenvolver competências e habilidades neste mundo sem tempo, e com vários estímulos que competem com a aprendizagem

Apesar do enorme progresso feito no aprendizado corporativo, a construção de habilidades e competências em escala é um desafio atual. Esse cenário em que os líderes de RH e executivos de aprendizagem precisam e querem ensinar coincide com o de precisar e querer aprender do outro lado.

Estes dois pontos encontram-se em um tempo e espaço onde habilidades e competências novas são necessárias.

Os recursos que cada funcionário precisa para ter um bom desempenho e para cumprir as demandas do universo dos negócios estão em constante mudança. No ângulo dos líderes responsáveis por manter os colaboradores preparados, a boa notícia é que a constante aprendizagem é um dos três principais motivos e alavancadores de engajamento para todos os níveis e idades dentro de uma organização:

Enquanto isso, os resultados de engajamento não são como o esperado pelo investimento feito em plataformas LMS, LXP e outros tipos de treinamentos direcionados para Aprendizagem e Desenvolvimento.



Imagem: Marcus Souza

Fundador da i9Ação faz uma leitura da pesquisa realizada pelo Cornerstone People Research Lab (CPRL) e comenta sobre os desafios contemporâneos para o desenvolvimento de competências

Por Fernando Seacero

Estamos entrando na quinta revolução industrial e não estamos preparados. Poucas pessoas ou empresas se deram conta deste fato.

Dados divulgados na última pesquisa do Cornerstone People Research Lab, apontam que, na próxima década, 14% de toda força de trabalho global precisará trocar de categoria ocupacional para acompanhar as tecnologias emergentes.

Estamos migrando da internet das coisas para a “inteligência das coisas”, que captura os dados da internet das coisas e entrega valor e soluções a partir destes dados.

Estas mudanças aceleradas e todas as outras que acontecem de forma ainda mais rápida vão exigir novas habilidades técnicas. No entanto, a pesquisa nos mostra que, para diferentes níveis dentro da organização, as competências socioemocionais são cada vez mais identificadas como sendo fundamentais – principalmente diante destes novos desafios e Gaps da aceleração tecnológica.

Ainda segundo a pesquisa, 72% das empresas entrevistadas concordam que os Gaps de competências e habilidades encontrados em suas empresas hoje irão impactar a capacidade de entregar sua estratégia nos próximos 2 anos.

Nesta pesquisa, realizada com quase mil organizações em todo mundo, foi questionado aos participantes: