assessment-mercado-de-rh

Os CEOs e gestores sabem que investir no capital humano e fazer melhores contratações são práticas essenciais para promover o crescimento da empresa. Diversas estratégias são empregadas para conhecer os candidatos selecionados para entrar na organização, ou mesmo, mapear o perfil dos colaboradores que já estão lá. A partir das informações do assessment é possível fazer uma gestão de pessoas organizada e ter clareza na tomada de decisões.

Neste post, vamos explicar melhor o que é assessment, sua utilidade e como superar esses obstáculos. Confira!


Gamificação - CONARH 2015O Game de Networking do APP DO CONARH é um exemplo de como a gamificação atua na aprendizagem e na integração de pessoas

Vem aí mais uma edição do CONARH, o maior evento de gestão de pessoas da América Latina, entre os dias 15 e 18 de agosto, no Transamérica Expo Center, em São Paulo. Para este ano, a equipe da i9Ação estará presente como desenvolvedora do APP CONARH 2016, um aplicativo gamificado.


Os jogOs jogos simuladores formam a nova tendência quando o assunto é treinamento de desenvolvimento.os simuladores formam a nova tendência quando o assunto é treinamento e desenvolvimento. O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e cobra a atualização constante dos profissionais que têm uma nova opção para se aprimorar e se destacar no mercado de trabalho, assim como os gestores de recursos humanos, que encontraram nos jogos um novo aliado para aumentar a produtividade dos colaboradores.

E engana-se quem pensa que jogos são coisas de criança. Jogos de simulação, fazem parte de uma atividade interativa de aprendizado que está ganhando espaço no meio de treinamento e desenvolvimento. Trata-se da gamification, uma estratégia de interação entre pessoas e empresas que geram estímulos de forma lúdica, por meio dos jogos.

Como funciona?


Trabalho em equipe e planejamento: veja como os games ajudam a carreiraRicardo Marchesan
Do UOL, em São Paulo

A indústria de games é cada vez mais poderosa. Em 2015, deve movimentar US$ 91,5 bilhões no mundo, segundo a Newzoo, empresa de pesquisa de mercado.

A Nielsen, outra firma com foco em consumo, estimou que em 2013 os gamers americanos com mais de 13 anos gastaram 6,3 horas por semana jogando, seja em consoles, computadores, tablets ou smartphones. A pesquisa foi divulgada no ano passado.

Mas se engana quem pensa que isso é apenas lazer ou tempo improdutivo. Outros estudos apontaram que alguns tipos de jogos podem aumentar a capacidade de aprendizado e até mesmo ajudar cirurgiões a cometer menos erros.

Fernando Seacero, neuropsicólogo e sócio da i9Ação, empresa que desenvolve jogos voltados para aprendizado e para o mundo corporativo, listou o que os games podem ensinar a respeito da vida profissional.


Gamificação: 10 lições para uma carreira de liderança

Portal Administradores publica lições de gamificação por Fernando Seacero

Conceitos de games são cada vez mais usados por profissionais e empresas para treinamento de liderança e engajamento. Técnicas de jogos ajudam a aplicar no trabalho conceitos como cocriação, inovação e cooperação. Além disso, os jogos ajudam a envolver equipes com reconhecimento, satisfação e emoção. Quem já conheceu em casa jogos como Atari, Mega Drive, Nintendo, Playstation ou Xbox, sabe que essa experiência é uma boa fonte de inspiração para transformar metas em desafios envolventes e divertidos.

Para o neuropsicólogo e desenvolvedor de games Fernando Seacero, que trabalha com gamificação há 14 anos como sócio-fundador da empresa de Desenvolvimento de Games e soluções Interativas i9Ação, os jogos fazem com que o jogador se movimente, se emocione e utilize o raciocínio. “Os jogos utilizam os três grandes sistemas neurofuncionais, e por isso o uso de algumas técnicas faz com que uma atividade gamificada seja além de envolvente, mas ensine conteúdos mais rapidamente e ainda resulte em memória de longo prazo”, explica Seacero.

Confira dez lições que Seacero indica para quem quer turbinar a carreira e a atuação em liderança com o técnicas de game:


Cat on NotebookAprendizado constante e liderança inspiradora são fatores de engajamento poderosos no ambiente corporativo. É isso que diz o Instituto Gallup, afinal, funcionários precisam perceber que estão aprendendo ou se desenvolvendo. Eles devem se inspirar em grandes líderes e, ao mesmo tempo, ter liberdade comunicativa para se sentirem motivados em seus empregos.

As empresas que precisam reter talentos devem prestar atenção nesses fatores, principalmente em tempos de competitividade acirrada no cenário mundial: além do Instituto Gallup, outros grandes grupos de pesquisa  internacionais, como Towers Watson e Aon, indicam que entre 50% e 85% dos funcionários das empresas em todo o mundo apresentam baixo grau de satisfação com o trabalho, ou que muitas vezes não se traduz apenas em falta de engajamento mas em “desengajamento ativo”, ou seja, funcionários “jogando contra” a própria empresa.


engajamentoHoje, as empresas estão muito mais conscientes da importância de possuir colaboradores engajados. Elas sabem que a falta desse engajamento pode custar muito caro e investem em treinamentos e benefícios.

O engajamento é o comprometimento e envolvimento emocional  do colaborador com a empresa. Um profissional engajado é entusiasmado com o trabalho e envolvido com as ações que fortalecem a reputação da organização.

Mas quando esse engajamento não existe, o colaborador é desinteressado e isso prejudica o desenvolvimento da empresa. Por isso, é importante identificar quais colaboradores não estão engajados e propor medidas para mudar essa situação.

Veja alguns sinais caracterizam a falta de engajamento dos colaboradores e saiba como promover esse engajamento:


Gamificação

O portal T&D, da revista brasileira especializada em Desenvolvimento Humano e Educação Corporativa, acaba de publicar um artigo sobre a inovação que os games corporativos trazem para as empresas. O autor Fernando Seacero é sócio-fundador da i9Ação. Leia o artigo  e conte para a gente a sua opinião!


cooperacao

Um dos diferenciais de uma empresa é o seu ambiente de trabalho. Quanto mais agradável e aberto a ideias criativas, melhor. Para conseguir este tipo de ambiente, é importante incentivar um comportamento cooperativo. O resultado são colaboradores mais felizes e que produzem mais.

Conheça 7 motivos para incentivar a cooperação na empresa: