jornadas de aprendizagem que engajem o vendedor

Imagem: Marcus Souza

Se você é responsável por decidir e atualizar os métodos e formatos de treinamento das equipes de Vendas da sua empresa, já sabe que as pessoas têm cada vez menos paciência e tempo livre para ficar sentadas em frente a um computador durante horas fazendo um curso

Estamos permanentemente buscando novas formas mais eficientes e ágeis de transmitir conhecimento, principalmente se for on-line. A aprendizagem nesse universo cada vez mais digital passa a andar de mãos dadas com atividades sociais, como em uma rede social, que atrai a pessoa para aquele ambiente por ser um momento divertido (enquanto aprende e adquire conhecimento).

Não basta ter a tecnologia, a plataforma, a metodologia, é preciso também construir as jornadas de aprendizagem de uma forma instigante! Quando o treinamento é para vendedores, temos em mente que eles vão aproveitar aqueles cinco minutinhos em uma sala de espera ou entre duas reuniões para acessar o conteúdo: e isso precisa ser estimulante, simples, prático – melhor ainda se estiver em um formato fácil de entender.

Afinal, precisamos tornar possível que a aquisição de novos conhecimentos seja uma atividade contínua, o lifelong learning. Por isso, preparamos algumas dicas de como montar os treinamentos dentro da Academia Digital de Vendas para ter mais engajamento.



criar uma Academia Digital de Vendas

Imagem: Marcus Souza

Treinamentos para formação ou atualização de vendedores como uma Academia Digital de Vendas precisam engajar para serem eficientes, funcionarem por mais tempo e, realmente, impactarem os resultados. Hoje, muitas empresas ainda erram ao entregar um formato em que o participante tem acesso a muito conteúdo e pouca interatividade. O aprendizado é sério, mas tem que ser divertido.

Vendedores não têm tempo para complicação nem paciência para conteúdo chato. Por isso, os treinamentos são muito mais atraentes quando envolvem facilidade e agilidade, ou seja, o conteúdo deve estar na palma da mão, ser divertido e instigante, rápido e fácil. Além disso, a ferramenta utilizada precisa ser intuitiva e se tiver uma interface similar à das redes sociais será ainda mais atraente e gostosa de usar.

Plataformas gamificadas e digitais já são desenvolvidas pensando nesse desafio, elas podem ser como um aplicativo para celular totalmente personalizado com a marca e conteúdo da empresa, por exemplo. Portanto, o mais indicado é que a equipe tenha acesso pelo tablet ou smartphone, o que é essencial para uma função que atua em mobilidade: enquanto aguarda uma reunião, usa alguns minutos para “jogar” no App.

Para esse público é melhor evitar o desenvolvimento de treinamentos que precisam ser realizados em um computador.

 

A facilidade de gestão da ferramenta