microlearning na segurança do trabalho

Imagem: Marcus Souza

As empresas precisam garantir que os padrões de segurança do trabalho sejam respeitados por todos, especialmente por aqueles que o trabalho envolve algum risco. É papel dos empregadores conscientizar seus funcionários sobre os processos e procedimentos de segurança. E você sabia que uma duas metodologias que ajudam nisso são microlearning e gamificação?

É fundamental garantir que os times façam seus trabalhos com conhecimento total das operações e medidas de segurança. Embora as empresas possuam maneiras próprias de treinar sua equipe, a forma de treinamento mais tradicional nem sempre é eficaz. 

As organizações geralmente consideram a SIPAT, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho como o único treinamento de segurança no ano. Uma programação intensa para abordar tudo o que é importante. E queremos mostrar que existem formas de melhorar essa experiência.

Confira agora os detalhes sobre a eficácia da gamificação e do microlearning na segurança do trabalho e como sua empresa pode colocar essas soluções em prática.

 

Como combater a falta de interesse nas práticas de segurança do trabalho?



Tudo sobre Gamificação

Imagem: Marcus Souza

 

Iniciativas corporativas com gamificação (gamification) são grandes aliadas dos profissionais de Recursos Humanos, Marketing, Eventos, Vendas, Segurança da Informação, Segurança do Trabalho e Compliance de empresas do Brasil e do Mundo. Cada vez mais, gestores e empresários buscam soluções para ampliar o envolvimento dos colaboradores nos processos da organização e, assim, melhorar seus resultados

Você já deve ter ouvido falar em jogos para aprendizagem de colaboradores! A metodologia tem atraído a atenção de empresários e gestores para transformar treinamento e desenvolvimento de colaboradores por meio de jogos corporativos para aprendizagem, potencializando consequentemente os resultados da empresa.

É isso mesmo, os jogos são uma forma de aumentar a performance de profissionais, equipes, comunidades, (preferencialmente de maneira cooperativa) para atingir objetivos diversos. E o porquê deste potencial da gamificação você vai descobrir nas próximas linhas.

Esses games podem ser desenvolvidos em plataformas físicas (um exemplo é aquele tipo de tabuleiro gigante onde as pessoas podem até caminhar por cima) ou de soluções digitais (para desktop ou mobile). Hoje em dia, já existem empresas especializadas nesse tipo de produção, ofertando desde ferramentas padronizadas até soluções gamificadas feitos sob medida.

A questão é que é preciso unir conhecimentos como games, designer, negócios, ciência da aprendizagem, didática, programação em diversas linguagens, conteúdo, que consigam ensinar muita coisa por meio das horas de “jogatina”.

>> Que tal saber mais falando com um especialista? Descubra agora como a GAMIFICAÇÃO pode transformar sua empresa!

Para ajudar você a tirar todas as dúvidas e conhecer tudo sobre o tema, compilamos as informações para que sua empresa e seus colaboradores possam tirar o máximo de proveito dessa metodologia. Confira!



E agora, lives!Futuro chegou com tudo e (quase) todos nós viemos instantaneamente vivenciar o home office e a utilização de plataformas de comunicação. Toda preparação e evolução pensadas pelas empresas neste caminho foram aceleradas, e muitos estão agora em uma curva de aprendizagem sem precedentes sobre a forma de trabalho. Esta mudança trouxe algumas surpresas

Todos os dias converso com gestores e executivos de diversas organizações e, quando pergunto como estão as coisas, é quase que uníssono:

“E não é que a produtividade está ainda maior?”.

Também escuto vários outros comentários de como o número de calls está insano ou mesmo como é difícil a vida e o trabalho em casa com as crianças.

Mas, no geral, outro relato tem me deixado ainda mais perplexo.

“Cara, acho que é um caminho sem volta. Estamos estudando estrategicamente a possibilidade de não voltarmos mais de fato para o escritório”.

Junto com estas mudanças na aprendizagem organizacional aconteceu um fenômeno.



planejar gamificação

A gamificação está ganhando cada vez mais espaço no mundo corporativo, traz resultados incríveis e mensuráveis com a tecnologia. Porém, como planejar um jogo corporativo da forma mais eficiente e profissionalizada? Conheça as dicas de Fernando Seacero, fundador da i9Ação

No mês de abril é celebrado o Dia da Educação. A data foi ampliada, sendo chamada também como “Dia do Gamifico” pelo fundador da i9Ação, Fernando Seacero. Afinal, essa ferramenta digital pode agregar — e muito— no aprendizado de adultos pelo diferencial de acelerar a aprendizagem e possibilitar que o conteúdo aprendido fique na memória por mais tempo. O importante é utilizar a gamificação da maneira certa.

Em um estudo da The Elearning Guide, 79% das pessoas afirmam que seriam mais produtivas se aprendessem através de jogos. Para os tempos de quarentena, a gamificação corporativa digital é uma solução que está sendo muito mais procurada do que o mesmo período de 2019 e de 2018, mensura Seacero dentro do balanço da i9Ação.

“Há 18 anos trabalhamos com jogos corporativos para aprendizagem e há 7 anos estamos aplicando a metodologia dos tabuleiros gigantes em plataformas gamificadas para celulares e computadores. Isso foi extremamente relevante para conseguirmos dar o respaldo para nossos clientes nesse momento de isolamento social e Home Office”, descreve.



GamificoPor Fernando Seacero

Se é para o bem de todos e felicidade geral das organizações, afirmo: gamificação para aprendizagem de adultos não é coisa do passado, muito menos está com os dias contados. Ao contrário do que já ouvi por aí por todo esse tempo que gamifico, o volume de utilização da gamificação no mundo só cresce. Em uma pesquisa da The Elearning Guide, 79% das pessoas dizem que seriam mais produtivas e motivadas se aprendessem através de jogos. Enquanto isso, com o avanço da ciência de dados, novas possibilidades surgem para que essa metodologia entregue ainda mais valor às empresas

Apesar da prática e da eficácia virem de longa data, o termo gamificação, em si, foi cunhado somente na década passada, muito por conta do crescimento do mercado mundial de games, principalmente, digitais. Hoje, há mais de um bilhão de jogadores assíduos. Ao avaliar esse fenômeno, estudiosos descobriram que o que mantém as pessoas conectadas não é magia nem só tecnologia, mas os elementos dentro dos jogos, como personagens, rankings, recompensas, missões, histórias etc. Ao transportá-los para o universo corporativo, o que ocorreu por volta de 2010, nasceu a metodologia.

Só que, para gamificar, não basta mais pegar elementos de jogos, digitais ou de tabuleiro, e colocá-los num treinamento tradicional, dando uma roupagem mais atrativa e divertida. Mais do que negócios, estamos falando aqui da gamificação como uma ferramenta de educação, de treinamento e desenvolvimento de pessoas.



2Gether

Como sua empresa se comunica com seus colaboradores? No dia a dia, surgem diversas informações que precisam ser compartilhadas e, nesse período de quarentena, esse trabalho se tornou ainda mais importante. Mas para tornar esse processo mais simples, rico e divertido, nós da i9Ação lançamos uma nova solução gamificada: o 2Gether!

Diferentemente de outras soluções, o 2Gether une uma série de funcionalidades que ajudam as empresas a manter um contato contínuo com (e entre) os colaboradores através de um canal exclusivo

Entre os principais benefícios, está a possibilidade de analisar relatórios de uso e acesso, rico em detalhes (você pode conhecer melhor falando com nossos especialistas). Mas isso é só uma das possibilidades.

Veja a partir de agora o que é a plataforma 2Gether, como funciona na prática e quais os seus principais benefícios para as empresas:



aprendizagem corporativa

Escolha as 3 opções certas sobre aprendizagem corporativa na cultura 4.0 🙂

O que você poderia imaginar que seria o futuro da aprendizagem corporativa na verdade já é o presente e está aqui: nos ambientes empresariais também. Os métodos tradicionais estão mudando rapidamente, passando para modelos mais dinâmicos e interativos. Quer saber as novidades sobre estratégias de aprendizagem? Vem comigo!

A Indústria 4.0 surgiu com a entrada de novas tecnologias para entretenimento, para facilitar a nossa rotina e para termos acesso a um grande volume de informações. A chegada da tal Cultura 4.0 impacta completamente no comportamento da sociedade e reflete dentro da cultura organizacional.

Devido a essa nova realidade, as necessidades ligadas à aprendizagem corporativa estão crescendo (e mudando) em todas as áreas. Aí começamos a nos deparar com universos complexos chamados Microlearning, Gamificação e Aprendizagem em rede.

E o que será que realmente significa isso?

 

O que muda em termos de aprendizagem corporativa na cultura 4.0?



Você sabia que a gamificação pode ser utilizada para diversos objetivos na sua empresa? Confira como a Allergan usou duas metodologias gamificadas para melhorar o desempenho do seu time de vendas!

Contornar as objeções do cliente era uma das técnicas de vendas a serem aprimoradas pelo time da unidade brasileira da Allergan, que é a subsidiária número um em vendas na América Latina. Os desafios e aprendizados que viriam para a convenção de vendas da fabricante da indústria farmacêutica não paravam por aí.

Os 182 profissionais da área de vendas e relacionamento com o cliente também deveriam aprofundar seus conhecimentos sobre as 5 áreas de atuação e produtos da empresa: Cool Sculpting, Eye Care Farma, Eye Care Retina, Medical Aesthestics e Specialty Care.

Pensando em melhorar a absorção dos conteúdos e fazer o treinamento de forma lúdica e imersiva, os líderes da Allergan buscaram a i9Ação.

 

Estratégia de gamificação para a Allergan



Ragnarok - A batalha entre as formas de aprendizagem Interativa e os antigos EADs

Foto: Freepik

Por: Fernando Seacero*

Durante muitos anos, as empresas buscaram apenas duas coisas em relação a gestão de pessoas: controle e medição. O ritmo de transformação nas ‘eras glaciais’ de inovação nos negócios mantinha a necessidade de aprendizagem e desenvolvimento profissional dentro do gélido – às vezes morno – estado das coisas.

Mas o gigante da alta performance e disrupção acordou.

Em 2010, a velocidade de inserção de negócios disruptivos em diversos mercados deu um salto, juntamente com a utilização da tecnologia. O aparecimento de startups se espalhou, e o interesse – quase que descuidado – de empresas em se aproximar deste novo mindset explodiu em coworkings, onde os executivos e profissionais se encontram com mentes de starters para trocarem figurinhas.

Tudo isto é essencialmente incrível e estamos de fato vivendo uma aceleração sem precedentes de inovação e absorção de soluções, inclusive pelas grandes organizações.



Tem muitas formas para medir o resultado da plataforma gamificada para a formação de gerentes:

  • Uma delas é Analytics!
  • Uma outra é tirar uma foto 🙂

Então fomos lá medir novamente, aplicamos a 2ª Edição.

Veja aqui o segundo relatório:


1 5 6 7 8 9 26