Game Presencial ou Digital: qual é ideal para o seu Onboarding

Quer saber qual a solução gamificada que melhor atende ao seu desafio? Então entenda quando escolher jogos presenciais,

Quer saber qual a solução gamificada que melhor atende ao seu desafio? Então entenda quando escolher jogos presenciais, digitais ou híbridos

Ter todo o potencial em ação de um novo colaborador no menor espaço de tempo! Esse é um dos grandes desafios para o contratante e com certeza um forte desejo do contratado. Para ambos é muito bom que a escolha de investir o tempo no processo de contratação e engajamento traga como resultado uma boa experiência, além de aprendizado. (Assista aqui um depoimento que demonstra como tudo isso funciona na prática)

Portanto, os dois lados deste processo merecem o recurso que acelera o procedimento de chegada. E transformar essa adaptação em algo divertido, leve e eficiente proporciona engajamento para ambos os lados!

Quer saber como um game pode ajudar e qual formato é melhor para cada caso? Descubra como um jogo de aprendizagem pode solucionar muitas questões além do onboarding!

Siga a nossa jornada! Ah, e divirta-se:

 

Formatos diferentes de solucionar desafios de Onboarding

Se você já sabe qual os desafios que podem ser solucionados por qualquer formato de game de aprendizagem, chegou a hora de conhecer a diferença entre um modelo e outro!

 

  • Acolher

Presencial

O acolhimento é olho no olho. Quando as pessoas se conectam ao vivo, a experiência se torna muito mais afetiva, ou seja, límbica e sensorial.

 

 

 

Digital

O Jogo pode começar antes da integração com uma experiência em Realidade Virtual (tour pela empresa) ou mesmo com um desafio em formato mobile que prepare o colaborador com conteúdo e informações iniciais sobre a organização. O participante sente que prepararam algo muito legal para ele, recebe um convite para jogar, entra no mundo digital em um game que foi feito para o receber bem. Diferente do olho no olho, traz a tecnologia.

 

  • Engajar e Conectar

Presencial

Além do que o jogo oferece naturalmente, há possibilidade de troca com outras pessoas. Desafio coletivo no caso de jogos cooperativos, quando o sucesso ou o fracasso do grupo depende da performance individual de cada um. É a possibilidade de ter um grupo de pessoas ao vivo, vibrando juntas pelo resultado.

 

Digital

Feedback imediato, surpresas, mudanças de cenários, mudanças de fases. Há muitos elementos de jogos comuns que entram tanto no digital e no presencial, mas de forma diferente. No caso do digital, o colaborador tem um desafio que depende apenas dele para ser vencido.

 

 

  • Quebrar o gelo

Presencial

Permite que todos vençam em conjunto o desconforto inicial gerado por ainda não conhecer aquela cultura, aquelas pessoas e aquele local. Todos passam por situações divertidas e podem rir juntos. O humor e a diversão são os principais canais de conexão social. Estamos falando de troca, de aprendizado e de diversão em conjunto.

 

Digital

O formato ajuda ao munir o colaborador com mais informações da empresa, desmistificando, para que ele chegue entendendo melhor a cultura, onde vai trabalhar. Isso torna mais fácil quebrar o gelo, ajuda indiretamente. Será preciso quebrar o gelo presencialmente, só que de uma forma mais tranquila. O novo colaborador chega mais à vontade no novo universo.

 

 

Segundo Livia Zappa, diretora de RH da CPI Tegus, a gamificação “gera uma integração superpositiva entre as pessoas de diversos setores, gera um aprendizado que a gente identifica como um aprendizado mais sólido e consistente:

“Eu recomendo. Eu gostaria de ter um jogo para tudo na empresa. O resultado é fantástico”, afirma ela! Veja aqui o depoimento completo!

 

E ai, gostou de conhecer um pouco mais sobre as diferenças entre os jogos de aprendizagem? Então, não deixe de falar com quem entende do assunto: marque uma conversa aqui!

Deixe um comentário