Ragnarok - A batalha entre as formas de aprendizagem Interativa e os antigos EADs

Foto: Freepik

Por: Fernando Seacero*

Durante muitos anos, as empresas buscaram apenas duas coisas em relação a gestão de pessoas: controle e medição. O ritmo de transformação nas ‘eras glaciais’ de inovação nos negócios mantinha a necessidade de aprendizagem e desenvolvimento profissional dentro do gélido – às vezes morno – estado das coisas.

Mas o gigante da alta performance e disrupção acordou.

Em 2010, a velocidade de inserção de negócios disruptivos em diversos mercados deu um salto, juntamente com a utilização da tecnologia. O aparecimento de startups se espalhou, e o interesse – quase que descuidado – de empresas em se aproximar deste novo mindset explodiu em coworkings, onde os executivos e profissionais se encontram com mentes de starters para trocarem figurinhas.

Tudo isto é essencialmente incrível e estamos de fato vivendo uma aceleração sem precedentes de inovação e absorção de soluções, inclusive pelas grandes organizações.


A aplicabilidade da gamificação para integração de novos colaboradores é uma tendência para a área de recursos humanos e comunicação interna

Por meio da metodologia de gamificação é possível utilizar uma série de ferramentas e tipos de games para engajar os novos funcionários com a cultura organizacional, apresentar o conteúdo do Código de Ética e Conduta, fazer uma imersão antecipada e virtual no ambiente de trabalho e, também, promover cooperativismo e companheirismo.


Por Fernando Seacero, sócio-fundador da i9Ação

TeamworkMuitas empresas estão em busca, cada vez mais, de soluções que podem ampliar o envolvimento dos colaboradores nos processos da organização e, assim, melhorar seus resultados. Por isso, nos últimos anos, iniciativas com gamificação tornaram-se grandes aliadas dos profissionais de Recursos Humanos. Tanto tabuleiros físicos como soluções digitais, principalmente os feito sob medida e personalizados, estão sendo opções na busca de engajamento e de ampliar o diálogo, o impacto, a integração e a produtividade.

Recentemente, li um artigo sobre isso no site da HR.Blr.com, de autoria de Karen Hsu, vice-presidente de Marketing da Badgeville, empresa norte-americana especializada na área. Achei a abordagem que ela deu ao tema tão interesse que decidi trazer para vocês uma tradução livre dos pontos mais interessantes. Confira!