microlearning

Imagem: Marcus Souza

 

Se a quarentena é um período de pausa para uma análise profunda de todos os processos, o treinamento dos colaboradores também não tem escapatória. Por isso, hoje estamos aqui para falar sobre o Microlearning

Mas antes, precisamos falar sobre os treinamentos tradicionais, que imploram para serem repensados. Não é de hoje que ouvimos a expressão “Morte pelo  PPT”. Seja o chefe ou o colaborador, todos clamam por soluções mais modernas, mais eficientes e mais legais, afinal, todos querem estar em um local cheio de engajamento. 

Você já deve ter acompanhado nossos posts sobre como gamificar seus processos. Porém, hoje, por três motivos nosso foco é abordar o Microlearning:

 

  • É uma metodologia que merece sua atenção pelo simples fato de vir para mudar padrões e conceitos;
  • Hoje em dia é preciso se atualizar com o que há de melhor no Brasil e no Mundo;
  • Nosso fundador Fernando Seacero indica o livro Microlearning: Short and Sweet, de Karl M. Kapp e Robyn A. Defelice.

GamificoPor Fernando Seacero

Se é para o bem de todos e felicidade geral das organizações, afirmo: gamificação para aprendizagem de adultos não é coisa do passado, muito menos está com os dias contados. Ao contrário do que já ouvi por aí por todo esse tempo que gamifico, o volume de utilização da gamificação no mundo só cresce. Em uma pesquisa da The Elearning Guide, 79% das pessoas dizem que seriam mais produtivas e motivadas se aprendessem através de jogos. Enquanto isso, com o avanço da ciência de dados, novas possibilidades surgem para que essa metodologia entregue ainda mais valor às empresas

Apesar da prática e da eficácia virem de longa data, o termo gamificação, em si, foi cunhado somente na década passada, muito por conta do crescimento do mercado mundial de games, principalmente, digitais. Hoje, há mais de um bilhão de jogadores assíduos. Ao avaliar esse fenômeno, estudiosos descobriram que o que mantém as pessoas conectadas não é magia nem só tecnologia, mas os elementos dentro dos jogos, como personagens, rankings, recompensas, missões, histórias etc. Ao transportá-los para o universo corporativo, o que ocorreu por volta de 2010, nasceu a metodologia.

Só que, para gamificar, não basta mais pegar elementos de jogos, digitais ou de tabuleiro, e colocá-los num treinamento tradicional, dando uma roupagem mais atrativa e divertida. Mais do que negócios, estamos falando aqui da gamificação como uma ferramenta de educação, de treinamento e desenvolvimento de pessoas.


2Gether

Como sua empresa se comunica com seus colaboradores? No dia a dia, surgem diversas informações que precisam ser compartilhadas e, nesse período de quarentena, esse trabalho se tornou ainda mais importante. Mas para tornar esse processo mais simples, rico e divertido, nós da i9Ação lançamos uma nova solução gamificada: o 2Gether!

Diferentemente de outras soluções, o 2Gether une uma série de funcionalidades que ajudam as empresas a manter um contato contínuo com (e entre) os colaboradores através de um canal exclusivo

Entre os principais benefícios, está a possibilidade de analisar relatórios de uso e acesso, rico em detalhes (você pode conhecer melhor falando com nossos especialistas). Mas isso é só uma das possibilidades.

Veja a partir de agora o que é a plataforma 2Gether, como funciona na prática e quais os seus principais benefícios para as empresas: