Processos seletivos podem ser interativos e utilizar técnicas de gamificação  para torna-los mais eficientesProcessos seletivos podem ser interativos e utilizar técnicas para torná-los mais eficientes. 

Nem sempre é possível (re)conhecer as pessoas em uma seleção de talentos tradicional, principalmente quando a posição a ser ocupada depende mais de valores e atitudes do que de conhecimentos técnicos. Nesse caso, fazer a imersão de candidatos em um cenário gamificado, simular situações para vivenciarem conhecimentos e comportamentos, são parte de uma solução para encontrar o perfil ideal: e real!

Desenvolver um processo de seleção bem elaborado, que integre informações técnicas e desafios emocionais, intelectuais, entre tantas outras possibilidades vai extinguir perguntas do tipo: “qual animal você seria”, e mandar para longe respostas aconselhadas pelo Google como a da formiga que gosta de trabalhar.


Gamificação: 10 lições para uma carreira de liderança

Portal Administradores publica lições de gamificação por Fernando Seacero

Conceitos de games são cada vez mais usados por profissionais e empresas para treinamento de liderança e engajamento. Técnicas de jogos ajudam a aplicar no trabalho conceitos como cocriação, inovação e cooperação. Além disso, os jogos ajudam a envolver equipes com reconhecimento, satisfação e emoção. Quem já conheceu em casa jogos como Atari, Mega Drive, Nintendo, Playstation ou Xbox, sabe que essa experiência é uma boa fonte de inspiração para transformar metas em desafios envolventes e divertidos.

Para o neuropsicólogo e desenvolvedor de games Fernando Seacero, que trabalha com gamificação há 14 anos como sócio-fundador da empresa de Desenvolvimento de Games e soluções Interativas i9Ação, os jogos fazem com que o jogador se movimente, se emocione e utilize o raciocínio. “Os jogos utilizam os três grandes sistemas neurofuncionais, e por isso o uso de algumas técnicas faz com que uma atividade gamificada seja além de envolvente, mas ensine conteúdos mais rapidamente e ainda resulte em memória de longo prazo”, explica Seacero.

Confira dez lições que Seacero indica para quem quer turbinar a carreira e a atuação em liderança com o técnicas de game:


Conheça a metodologia Preferências Humanas

Leia matéria sobre Os 4 modos de agir no trabalho

A revista Você SA,  do mês de abril de 2015, publicou matéria sobre o estudo de 4 modelos mentais, realizado por Fernando Seacero, da i9Ação. A metodologia Preferências Humanas foi abordada pela jornalista com foco no perfil brasileiro e traz dicas de como as pessoas podem identificar o seu modelo mental para lidar melhor com as pessoas no trabalho.

E saiba mais sobre Preferências Humanas no site da i9Ação 

Leia na íntegra abaixo:


Dia 26 de março foi realizado o 1º Game Jam i9Ação, um evento de cocriação inédito no universo de jogos corporativos. Mais de 120 convidados compareceram e, depois de assistirem a uma breve palestra sobre Gamificação e Engajamento, foram apresentados a uma metodologia de cocriação de games de uma hora e meia. No dia, foram criados 19 jogos diferentes (ou “sementes”, como gostamos de chamar, já que são embriões de jogos que ainda devem ser aprimorados).


gamificação em call center

Como gamificar de forma simples?

A rotina de um Call Center não é fácil: o ambiente é caracterizado por alta pressão, prazos curtos e exigência de alta performances, além de  apresentar um dos maiores turnovers do setor de serviços. Por isso é importante se aperfeiçoar e se adaptar às mudanças no segmento. 

Dados do último levantamento do portal CallCenter.Inf mostram que o faturamento do setor em 2013 chegou a R$ 10 bilhões de reais, o que é impressionante. Mas o mais impressionante é que os valores poderiam ser maiores se as empresas adotassem métodos mais efetivos de treinamento e engajamento, uma vez que o setor sofre cada vez mais com a desmotivação dos colaboradores e com o altíssimo índice de turnover.